04/04/2012

Soltando os cachorros

Que a classe política não quer porra nenhuma com a “Hora do Brasil”, a nação está sobeja e envergonhadamente cansada de saber. E, com os deputados, não é diferente. Eleitos para discutir projetos propostos pela União, criar ou alterar as leis existentes, além de fiscalizar todos os atos do poder Executivo, esse seleto (?) grupo de homens e mulheres é capaz de proezas inimagináveis pelo cidadão comum, tais como criar cuecas milionárias, anões que envergonhariam a mais profana e decadente Branca de Neve, ambulâncias fantasmas, pianistas e os até hoje mal explicados mensalões.

Pois bem, esses outrora nobres cidadãos recebem, mensalmente, a módica quantia de R$102,3 mil, para trabalharem (?) de terça à quinta-feira, já que as segundas e sextas são reservadas para “atendimento” aos eleitores de suas bases. E os sábados e domingos são destinados ao descanso, já que ninguém é de ferro.

A bem da verdade, o salário mesmo é de apenas R$ 12,8 mil. Ou, se preferirem, vinte vezes e meia o salário mínimo. Mas, para pessoas tão bem intencionadas, patriotas de primeira hora e que abrem mão, por vezes, da própria vida para representar os interesses do povo brasileiro, ainda são pagos (muito justamente) verbas de gabinete, verbas indenizatórias, auxílio-moradia, auxílio-paletó, auxílio-camisinha, auxílio-botequim, selos, passagens aéreas, automóveis, etc., etc. e tal.

Desnecessário dizer que há ainda uns poucos abnegados que circulam por Brasília carregando sobre os ombros o fardo de serem parlamentares, apenas para serem exceções à regra e, naturalmente, justificá-las. A esses poucos, o pedido formal de desculpas de toda a nação brasileira. Quanto aos outros, a sugestão de que permaneçam caladinhos, em suas ricas mansões, refletindo sobre um lembrete básico: como cidadãos, lhes demos o emprego e pagamos seus salários. Dessa forma, como legítimos patrões estamos, tão somente, exercendo nosso direito de reclamar dos funcionários relapsos ou ineptos.

Pois bem, contenham o riso, pois o assunto é sério! (Sério!?) Na quarta-feira passada, 28 de março, a Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara dos Deputados aprovou um projeto (?) para discutir o destino dos cães após a separação ou divórcio de seus donos. (sic)

Mas, para ser transformada em lei, a proposta ainda precisa passar pela Comissão de Constituição e Justiça, por votação em plenário da Câmara e ainda, pelo Senado. Ah! Bom...

O substitutivo propõe que um juiz decida a posse e guarda do animal “em razão do vínculo afetivo e das condições de oferecer cuidado ao animal”. Ah! Entendi...

E diz ainda, que “a escolha será feita após a Justiça observar o ambiente no qual o animal irá viver, a disponibilidade de tempo do dono, condições de trato, sustento, grau de afinidade e afetividade, etc. e tal”. Bem, se é assim...

Em outras palavras: Senhores contribuintes, seus animais estarão, doravante, amparados por lei. Quanto a vocês, danem-se.

O que não é novidade alguma, certo?

Anderson Fabiano

Imagem: Google


11 comentários:

Gato Vadio disse...

Será que a guilhotina de Robespierre ainda funciona?! Bom, deixa p'rá lá, a culpa é nossa, mesmo... Povo esclarecido não põe meia centena de "bostas" para feder num Congresso constituído à força de pleito. Povo esclarecido não manda um centavo sequer para bandalheiras "bigbródicas" via fone e depois reclama que político não presta - ele vai e age, fiscalizando, anulando o voto ou sai ás ruas para impôr sua vontade, pois, o poder, dele emana. É: a guilhotina (ou tiros de canhão, paredão ou um simples NÃO nas urnas) não funciona. Deus nos acuda...

Leninha disse...

Já dizia o poeta Chico:
....apesar de você amanhã há de ser,outro dia...
E Vandré:
....vem vamos embora que esperar não é saber,quem sabe faz a hora não espera acontecer...

E,apesar dos poetas,tentando abrir os olhos do povo,a massa continua na mesmice,na mediocridade...

Professores mal pagos,um caos na Educação e na Saúde,salário mínimo de fome e o povo continua votando e aplaudindo a corja...


Pai,afasta de mim este cálice,de vinho tinto de sangue...

Marilda e Leninha

HELO disse...

pois é...dizem que todo povo tem o governo que merece e como para os politicos interessa um povo ignorante e que se vende por uma cestinha basica, bolsas de tudo, o resultado é o nada>Tudo fica na mesmice, nos escandalos que viram pizza e o povo esquece.È um saco sem fundo!Otima profissão ser politico, por isso que quem esta la não quer sair e muitos querem entrar, mesmo que para isso tenham que deixar de lado o carater e a honestidade!Uma lástima!!!

heloisa crosio
05//04//2012

DANTE disse...

Interessante é ver que esta mediocridade na hora de criar leis idiotas se transforma rapidamente em esperteza desonesta na hora de favorece-los...

a Flor Enigmática disse...

Lindo Dia Fabiano*Para um povo mediocre nas urnas,só mesmo leis imbecís.Isto vem ,para disfarçar os altos salários recebidos e dizerem que são parlamentares que se preocupam com seu povo.Eu ainda fico me debatendo sobre os Faraônicos Elefantes Brancos,que cresceram como nunca em nossa história,agora que se aproximam os compromissos assumidos por um doido Sem Noção*porque tenho que pagar por algo que não fiz?Parabéns pela crônica.Bjus\Flor*

Jorge Sader Filho disse...

Grande paulada, Fabiano!
Ah! Antes que eu me esqueça. Não sabia que tinha auxílio camisinha não.
Imagina! Com aqueles bacanais em plenário, o risco correndo solto!

Boa Páscoa, aquele abraço.
Jorge

Gaivotadourada22 disse...

Amigo Fabiano...

Soltando os cachorros... E com toda a razão!!! Só no Brasil mesmo...
Parabéns pela maravilhosa e relevante publicação!!!

Abraços e mais uma vez parabéns pela Editora!!!

Allan Robert P. J. disse...

Anderson,
Bom texto. Noutro dia recebi um e-mail/corrente para ser repassado que nos recordava que política não é profissão. Conseguiram transformar em merda o que deveria ser uma honra.

Enigmático Byjotan disse...

Alguém tem mesmo que dizer verdades como esta,Calar-se,jamais.Abraço forte de alegria pelo tema pertinente e atualíssimo.:- BYJOTAN.

Helena Chiarello disse...

Sempre digo que gosto bem desse jeito "fabiano" de dizer as coisas.
Tomara que "quem tem ouvidos para ouvir, ouça!"
Crítico, correto, perfeito!
Beijo, beijo!

IDERVAL TENÓRIO disse...

Meu Professor,falou e disse muito,este é o país do disse e me disse . Gostei muito do recado para o mestre Jorge, o país precisa resgatar estas inteligencias ,perdemos o Millor, o Francis e esta semana o Lessa , os substitutos estão ainda às escondidas.O Jorge Sader merece ser um deles ,sabe muito e escreve bem, tem café no bule,marquem o jantar e costurem uma obra para o bem do Brasil.


http://www.iderval.blogspot.com Iderval Reginaldo Tenório